Cadetes do segmento feminino passam a ostentar o boot marrom

blank

O dia 9 de outubro de 2021 foi longo, decisivo e muito aguardado para os alunos do Curso Básico Pára-quedista 21/2. Durante todo o dia, os instruendos do curso aguardaram o tão esperado 4º salto, programado para acontecer à tarde. A expectativa se justificava pois, somente após esse referido salto, o aluno poderá ser chamado de paraquedista. Fato curioso neste ano é que entre os pretendentes a ostentar o brevê de prata, o boot marrom e boina grená, estão as primeiras cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras.

Logo bem cedo, por volta das 7 horas da manhã, já se escutava, na Base Aérea dos Afonsos, as turbinas ligadas da maior aeronave militar produzida no Brasil, o KC-390 Millenium. O Comandante Militar do Leste, General de Exército José Eduardo Pereira, liderou a atividade matinal, saltando na primeira leva, sendo acompanhando por integrantes do Comando Militar de Área. Ainda pela manhã, entre decolagens, lançamentos e aterragens, os 171 alunos concluíram o 3º salto.

À disposição do Centro de Instrução Pára-quedista – General Penha Brasil, os estagiários, no período da tarde, puderam dar início à Operação Boot. A atividade consiste na realização do 4º salto da aeronave, da marcha, armados e equipados e, por fim, do reconhecimento da tomada da cabeça de ponte, agora feita pelos novos paraquedistas militares do Exército.

Na próxima sexta-feira, dia 15 de outubro, será realizada uma formatura de brevetação dos novos paraquedistas de 2021. Os estagiários concludentes do curso básico Pára-quedista 21/2 compõem uma turma histórica, que integra as primeiras oito cadetes do segmento feminino à tropa especializada aeroterrestre.

Velame!

Texto: 2º Ten Ferrentini
Fotos: 2º Tenente Ferrentini/Sd R.Menezes

Participe do nosso grupo e receba as principais notícias do Defesa News na palma da sua mão.

blank

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.