NUCLEP comemora 42 anos de serviços prestados ao Brasil com excelência

blank
blank

Google News

A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. – NUCLEP foi criada com a missão estratégica de atender ao Programa Nuclear do País. Sendo a única indústria nacional com capacitação para fabricar e realizar a manutenção dos equipamentos nucleares para as Usinas de Angra e às outras previstas no Plano Decenal de Energia do Brasil. ☢️

Entre no canal do Defesa em Foco no Whatsapp e fique por dentro de todas as notícias do dia

blank

História

Vinculada ao Ministério de Minas e Energia, a Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. – NUCLEP foi criada pelo Decreto 76.805, de 16 de dezembro de 1975, como uma empresa estratégica para atender ao Programa Nuclear Brasileiro sendo responsável pelo desenvolvimento e produção dos equipamentos de reposição das usinas nucleoelétricas de Angra 1 e 2, assim como todos os componentes para as futuras plantas.

Sua atuação

Em 1986, como uma das maiores indústrias de equipamentos pesados do mundo e atendendo às demandas estratégicas de Defesa da Nação, a NUCLEP produziu os cascos resistentes para os 4 submarinos convencionais da classe Tupi, tipo IKL-1400, de tecnologia alemã, já incorporados a frota da Marinha do Brasil. Foi nesse momento, através da excelência, qualidade e capacidade da NUCLEP, que o Brasil entrou para o seleto grupo dos construtores de submarinos, junto com Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha, Alemanha e França.

Em 2005, a NUCLEP produziu, pela primeira vez na América Latina, os cascos semissubmersíveis para plataformas, para a Petrobras (P-51 e P-56), mostrando que a indústria nacional era capaz de competir com os estaleiros internacionais.

Em 2011, se firmando como parte do processo de desenvolvimento naval do Brasil, NUCLEP iniciou o processo de produção dos cascos para os quatro submarinos convencionais Classe Riachuelo, de tecnologia francesa, tipo Scorpène.

Em 2014 a NUCLEP entrega o primeiro grande equipamento nuclear para a Usina de Angra 3, o Condensador. Este, seria o primeiro dos três que serão entregues à Eletronuclear até meados de 2020.

Em 2018, a NUCLEP, em parceria com a Itaguaí Construções Navais (ICN), entrega à Marinha do Brasil o submarino Riachuelo, o primeiro dos quatro submarinos convencionais de sua Classe.

Em 2019, a NUCLEP assina com a Amazul – Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. para confeccionar parte do protótipo do reator nuclear que está sendo desenvolvido pela Marinha do Brasil. O protótipo é um modelo do reator que vai equipar o futuro submarino com propulsão nuclear (SN-BR).

Empresa Pública com lucros recordes

A empresa virou o ano com cerca de R$ 7,2 milhões em caixa e por volta de R$ 7 milhões em restos a pagar não processados. O faturamento da empresa em 2021 foi em torno de R$ 37,8 milhões com um viés de superávit, pela primeira vez na história da empresa, cerca de R$ 105 mil.

“Mesmo com os desafios impostos pela pandemia em 2021, o resultado orçamentário deixou evidente o esforço dessa gestão e de todos por uma NUCLEP em ascensão. Todas as nossas despesas e investimentos foram executadas, conforme planejamento. Encerramos a execução junto ao Ministério de Minas e Energia ratificando a integração e sinergia de todos os setores da NUCLEP por um 2022 ainda mais bem sucedido.” destacou o Gerente Geral de Planejamento e Finanças, CMG (RM1) Genildo Rodrigues de Araújo.

Fonte: Defesa em Foco

Participe do nosso grupo e receba as principais notícias do Defesa News na palma da sua mão.

blank

Ao entrar você está ciente e de acordo com os termos de uso e privacidade do WhatsApp.